Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Pé Descalça

Guia de Viagem para Mulheres na Índia

Em 2011 tomei a decisão um bocado precipitada de ir passar 2 meses a fazer voluntariado na Índia. Podia ter escolhido qualquer outro país mas decidi que queria ir para um país do qual eu não gostasse. Sim, leram bem: um país do qual eu não gostasse. Quis desafiar-me.

 

Portanto, decidi ir para a Índia: um país cuja cultura é completamente diferente, onde existe muita (mas muita) pobreza, e onde as comidas são tudo o que sempre disse que nunca iria comer. Sabia pouco sobre o país antes de ir e por isso fui informar-me junto de outras pessoas que tinham escolhido ter esta experiência de voluntariado na Índia. Falei com um rapaz, muito querido, que me ajudou com muitas questões práticas mas não me pode ajudar com uma coisa: como é estar na Índia sendo mulher.

011.jpg

 A verdade é que a cultura indiana é muito conservadora e para uma rapariga habituada à vida de uma Mulher Ocidental, o choque é grande. Portanto, se és rapariga e estás a pensar em viajar à Índia, aqui ficam os meus conselhos:

 

Andar tapada é sempre melhor. É verdade que quando és branca, negra, ou de outra etnia visivelmente não-indiana, os locais não costumam esperar os mesmos hábitos de ti do que das suas mulheres. No entanto, isso não quer dizer que os aprovem ou aceitem. Por isso, e principalmente por respeito à cultura do país que estás a visitar, fica sempre bem adaptar um bocado a tua maneira de vestir aos hábitos locais. Evita usar calções ou saias curtas e sempre que usares tops de alças ou com algum tipo de decote (e "decote" aqui é para ser entendido num sentido muito, muito lato), usa um lenço a cobrir a zona do peito e ombros. A cabeça não tem que ser tapada, a não ser que visites locais sagrados muçulmanos e/ou seja expressamente pedido para o fazeres.

 

Prepara-te para viver a vida de uma celebridade. Por não seres indiana e seres mulher, todas as pessoas que encontrares na rua (que, já agora, serão principalmente homens) vão olhar para ti. E olhar, e olhar, e olhar. Podes estar tapada, nua, só com os olhos à mostra - não interessa. Não és indiana e és uma mulher a andar na rua - isso basta para surpreender. Claro que a experiência em sítios diferentes há de variar, mas de modo geral, vais sentir bem aquele olhar fixo constante. E para além de olharem, muitos hão de querer tirar fotografias contigo/de ti especialmente quando estás em locais turísticos. Lembro-me perfeitamente de quando fui visitar o Charminar em Hyderabad e pedi a uma amiga minha para me tirar uma fotografia - no tempo de ela ligar a minha câmara, 30 pessoas puseram-se atrás dela para me tirar uma fotografia também. Hilariante, claro. E não foi a única vez que algo do género aconteceu.

250173_10150273529714329_3270581_n.jpg

Vais deparar-te com muita pobreza. Este aviso é válido para homens e mulheres, claro. É muito difícil descrever a pobreza que se encontra na Índia, tanto em cidades como vilas e aldeias. Dependendo do tempo que lá ficas, isto pode impressionar mais ou menos. Infelizmente não há muito que se possa fazer em relação a isto a não ser ter noção disso e tentar aceitar a realidade em que estás.

 

Evita andares muito sozinha. Aconteceram-me várias coisas na Índia por ser rapariga. Uma das piores foi quando durante o caminho entre o apartamento e a escola onde estava a trabalhar (demorava cerca de 1h de taxi e ia sempre sozinha) fui seguida por um rapaz de bicicleta. Seguiu-me duas vezes e à segunda acabou vir a correr atrás de mim. Acabou tudo bem, ele só me quis fazer umas perguntas mas eu consegui correr até à escola e o diretor salvou-me daquela situação. Mas foi uma boa lição para mim: coisas perigosas podem acontecer, mas tornam-se ainda mais perigosas quando estás sozinha.

 

Confia no teu bom senso. Esta é a Regra de Ouro. Qualquer coisa que faças quando estiveres na Índia, segue o teu bom senso. Se sentes que algo não está bem, remove-te da situação, pede ajuda. Tenta sempre ter contactos no teu telefone de pessoas que te podem ajudar, evita situações perigosas e, acima de tudo, diverte-te e aproveita o teu tempo neste país tão diverso!

india2.jpg.jpg

 Atenção que a Índia não é só perigosa e assustadora. É um país verdadeiramente interessante de se conhecer, com todo o tipo de lugares para descobrir desde grandes palácios a vilas antigas protegidas pela UNESCO e monumentos deslumbrantes.

 

Aproveitem e (como diz a minha mãe), juízo!

10 comentários

Comentar post